World Ayahuasca Conference 2016 | Foro community
2247
page,page-id-2247,page-template-default,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-8.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive
 

FORO COMMUNITY

COMMUNITY I (Presentaciones inglés)

Plant Medicine Ceremonies and Sexual Boundaries

Paul Eijkemans

Sexual misconduct during and around plant medicine ceremonies occurs more often than most people presume. Such misconduct stems from a lack of sexual boundaries of those who lead the circle, sometimes fueled by deeper sexual abuse related issues carried by the participant. This presentation addresses the sexual boundaries that those that work with plant medicines should have, and draw parallels with other therapeutic professions. For those that work with the plant medicines themselves, I will discuss the topic of transference, and how to handle participants that were subject to sexual abuse in their childhood. The presentation will draw heavily on my own experiences with several misbehaving shamans. From that, I understand that those that have been subject to sexual abuse in plant medicine circles not only have to deal with the direct effects of what has happened, but also with an aftermath of scorn of those that refuse to look through the illusions of ‘their shaman’. The goal of this presentation is to help those who work with plant medicines and those who visit plant medicine ceremonies to have a more clear view on sexual boundaries within plant medicine ceremonies.

Contemporary Ayahuasca Drinking Cultures: Considerations of Safety, Religious Freedom, Economics, Ecology, Medicine and Global Healing

Sitaramaya Sita

This presentation will focus on the emergence of contemporary ayahuasca drinking cultures blossoming beyond the borders of the Amazon. The bell has been rung, and people across the planet are hearing the call of ayahuasca. The emergence of ayahuasca has the potential to be a forward-moving, transformational reclamation of an innate desire and ability to connect and heal with plants, to experience ourselves as part of nature, and to redefine currently accepted and practiced paradigms of religion, medicine and economics. Based on anecdotal accounts, personal experiences and observations over the last 16 years in Peru and North America, and on producing Visionary Convergence 2015, the first major conference on plant medicines in Los Angeles, important key questions have been identified that can help consciously guide us in our participation in the creation of contemporary ayahuasca culture. Anecdotal accounts, collected stories, observations and experiences will be presented along with some of the questions, including: What do we want to preserve and amplify for future generations regarding ayahuasca? Do our actions now support this? How can we honor ayahuasca culture and tradition? How can we steward the inevitable changes that come from the globalization of ayahuasca? Is drinking ayahuasca outside the Amazon, in our native communities, an answer to reducing our carbon footprint? How do seekers and participants do our part to insure that we are safe? How can ayahuasca contribute to a new model for our economy, an economy where commercialization does not emphasize profitability at the expense of quality but instead represents the availability and preference for experience over “stuff ?” Can ayahuasca help identify new meanings and mechanisms for healing? Can ayahuasca help redefine religion and how does the direct spiritual experience offered by ayahuasca support this? Posing more questions than answers, this presentation is geared toward offering provocative food for thought and will allow time for audience participation and questions.

Reawakening the Soul: Neo-Shamanic Practices Outside of the Amazon

Mario Grasso

We will focus on Neo-Shamanic ceremonies being held by non-native facilitators with the use of pre-recorded music, an ongoing controversial topic. Even tough such ceremonies are not the same in shape and form as the ones being held in South-America, when done with the right intention and preparation they share the same spirit and are very needed right now around the planet. Based on the personal experience of the author, we will go through the different stages of a neo-shamanic ceremony based on Ayahuasca and pre-recorded music. The purpose of such ceremonies is primarily to awaken the spirit of the partakers to new possibilities and to bring out the feminine vital force that is so much repressed in modern society. The main focus will be on the use of music during neo-shamanic ceremonies. We will have samples of recordings used in the different stages of a ceremony and their specific purpose: Opening music, soft and relaxing; deepening of trance; series of mantras and specially chosen new age music; drums and didjeridoo for prompting vomiting and purging; songs for clearing up psychological issues; re-awakening of the soul: soft joyous music; playful music full of vitality and energy; closing of ceremony and sharing of experiences.

Ayahuasca in court case in the Kingdom of Denmark

Geni dos Santos

This presentation addresses a legal battle going on with a Santo Daime group in Denmark. We are about 200 persons from all Denmark, and there are members also from Sweden, Norway, Germany and other European countries. After three years struggling for legalisation of Santo Daime in this country, our group was granted free process to try the case as a §9 of Human Rights, as a case concerning “principles” of religious freedom. We are sueing the Heathy Ministry and the Social Ministry as they declined our application to import Ayahuasca and to practice the Santo Daime religion freely and legally. The case is going to the High Court on January 2017. Our lawyer is also going to argue for right for the people form EU countries resident in Denmark to be protected by the Human Rights legislation. Unfortuatenly, the odds are not very good as there are massive prejudices concerning ayahuasca. We hope to share our experience.

COMMUNITY II (Presentaciones en portugués)

Pesquisa, Estudos e Manejo do Mariri e Chacrona na UDV

Arminio Adolfo de Pontes e Sousa

Esta apresentação abordará o plantio e manejo das espécies que compõe a a hoasca no âmbio do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. A UDV tem em sua estrutura administrativa uma Diretoria Geral que, por sua vez, possui alguns Departamentos, dentre estes tem o Departamento de Plantio e Meio Ambiente – DPMA, que é o responsável pelo estudo, pesquisa e normatização de procedimentos quanto ao manejo de nossas plantas sagradas, o mariri e a chacrona. O DPMA se conduz a partir de 12 princípios que são os norteadores de todas suas ações, que serão apresentados aqui. O nosso objetivo principal é o plantio de mariri, chacrona e espécies lenheiras. Todos os Núcleos da UDV são orientados a desenvolverem plantios próprios e a buscar a auto sustentabilidade, utilizando em suas práticas sistemas agroflorestais – SAF e as boas práticas ambientais. A comunicação abordará o trabalho que temos desenvolvido neste sentido para que nossos plantios sejam o mais orgânicos possíveis.

Compartilhando uma Experência de Eco-Plantação de Jagube e Chacrona

Marcelo Nunes Valladão, Laci Scender, Benki Pianko

Em 2014 apresentamos um projeto de eco plantação na AYA2014, em Ibiza. Nos dois anos seguintes ganhamos em experiência e desevolvemos novas técnicas que queremos apresentar na AYA2016. Teremos a presença do Sr Laci Scender, especialista em permacultura que já participou da AYA2014 e do líder Ashaninka, o Sr Benki Piyanko, que vem somar com sua expêriencia de sua eco-plantação na Amazônia. Através de um estudo que analisou o consumo anual de combustível para motores diesel utilizados no transporte do jagube da floresta Amazônica para São Paulo para o fornecimento de matéria-prima para a preparação da Ayahuasca, se consome em torno de 60.000 litros de diesel por ano. A isto se acrescenta e a destruição da floresta nativa. Por esta razão, Marcelo e Fátima adquiriram em particular um terreno de 520.000 m2 na cidade de Sete Barras, Brasil. O local foi escolhido por seu clima muito semelhante ao da floresta amazônica e é totalmente dedicado à cultura do jagube e a chacronas, com 3000 jagubes e 700 chacronas. Diversificamos nossa plantação: 380 jagube foram equipados com sistema de irrigação por gotejamento, e o resto crescem naturalmente na floresta. Este plantio tem como objetivo atender às necessidades de nossa igreja e as igrejas dos nossos contactos europeus e brasileiros. Também visa inspirar e ajudar outras pequenas fazendas com sementes e informações técnicas.

Ayahuasca no Mundo Moderno

Fernando Ribeiro

Além de estar à frente de uma igreja daimista chamada Centro “Céu das Estrelas”, em Minas Gerais, sigo os estudos sobre as origens das tradições ayahuasqueiras e seu ressurgimento na era moderna. Compartilharei aqui um pouco a respeito da minha trajetória espiritual e política nas últimas décadas. Vivi uma experiência forte na Espanha no ano dois mil e, a partir disto, publiquei um livro: Os Incas, as Plantas de Poder e um Tribunal Espanhol. Contarei também um pouco sobre o meu próximo livro, que está em vias de edição. Meu plano é uma escrever uma trilogia de nome Ayahuasca, a Cerimônia Americana, onde realizo um estudo sobre as origens e também a expansão mundial da Ayahuasca na era moderna.

As Origens de uma Casa de Cura do Daime: O Pronto Socorro Espiritual Raimundo Irineu Serra

Julia Lobato Pinto de Moura

Esta comunicação irá refletir como surgiu o Centro e Pronto Socorro Espiritual Raimundo Irineu Serra (CEPSERIS), que se localiza na zona rural de Rio Branco, Acre, e que além de ser mais um centro zelador dos ensinamentos deixados por Irineu Serra, tem a especificidade de estar prontamente disposto a atender, através do uso do Daime em trabalhos de cura, os doentes e dependentes químicos que a casa procurarem. Através uma pesquisa bibliográfica e das narrativas de antigos seguidores é possível contar um pouco da história de Wilson Carneiro de Souza, de como ele recebeu do fundador da doutrina, na década de 1960, a função de amparar os doentes. A partir da vivência de oito anos com o grupo situado na Vila Carneiro propomos uma interpretação sobre como esta missão foi, ao longo do tempo, sendo re-significada e intensificada por seus familiares. Analisamos também como anda o debate sobre a regulamentação do uso terapêutico da ayahuasca, procurando descrever a posição do “Pronto Socorro” como instituição religiosa, mas que também realiza um trabalho terapêutico com o uso da bebida. Esperamos contribuir apresentando experiências e narrativas sobre este centro do Daime, que é parte da história de expansão do consumo da ayahuasca e da doutrina fundada por Irineu Serra, e é uma referência para outros centros em várias partes do país.

A Ética da Floresta e o Espírito das Economias Criativas

Newton Cannito

Essa comunicação mostrará como a ética que a Ayahuasca promove (a ética da floresta, ou ética xamânica) é adequada as necessidades da Economia Criativa. A ayahuasca promove no ser humano uma reconexão, tanto com a natureza ao seu redor, quanto com outros seres humanos. Essa reconexão nos coloca em contato com a rede rizomática da vida. Enquanto a ética protestante era adequada ao espírito do capitalismo (Weber), a ética da floresta é adequada ao espírito das economias criativas. Iremos listar comparações entre as duas éticas, como: Xamanismo é fogo, transformação permanente. “A ayahuasca não mata, mas ensina a morrer”. A morte permanente (a morte de ideias, a troca de empregos, etc…) é fundamental para a inovação permanente que, por sua vez, é a base da economia criativa. A Ética da Floresta é a ética da cooperação. A ética capitalista é a ética da competição. E, no mundo de hoje, ganha quem sabe cooperar. Isso é visível em qualquer ritual espiritual de ayahuasca. No ritual fica claro a presença da rede de cooperação entre os membros da corrente. A maioria dos rituais de ayahuasca promove uma saudável dicotomia entre a ordem (as regras do ritual) e a conexão criativa individual. Por isso, a pratica xamânica se torna um treino para viver a vida na era das economias criativas. Além desses exemplos, a comunicação listará outros, mostrando como a ayahuasca promove uma ética muito adequada à economia de hoje.

COMMUNITY III (Presentaciones en portugués)

A Nova Aurora de uma Antiga Manhã: Surpreendentes Diferenças entre a Ayahuasca e as Drogas

Philippe Barrozo Bandeira de Mello

O objeto é o ressurgimento de cultos utilizando a Ayahuasca no mundo contemporâneo e nos grandes centros urbanos. A problemática é a de investigarmos as diferenças entre a Ayahuasca e os psicoativos modernos, substâncias purificadas e sintéticas que denominamos “drogas”. A premissa é a de que a Ayahuasca apresenta propriedades que a distinguem das drogas, buscando redefinição das terminologias utilizadas para nomeá-la e descrever seus misteriosos efeitos. O objetivo geral é evidenciar as propriedades denominadas “misteriosas” que distinguem os enteógenos das drogas, mostrando como elas configuram um passo além da farmacologia atual. Com relação a metodologia, utilizamos depoimentos de cientistas, xamãs, mestres e padrinhos, bem como observação participante baseada na experiência direta com a Ayahuasca, para redefinir as fronteiras dos conhecimentos e transformações pessoais que dela provém, percebendo assim os novos horizontes de entendimento da psique e da realidade que emergem a partir de seu uso. Como resultado, desembocamos em um salto qualitativo da compreensão da Ayahuasca, impondo urgentes investigações neste promissor campo, aportando novos objetos de pesquisa, de valor inapreciável para as indispensáveis mudanças sociais visando solucionar a crise atual, expandir as políticas públicas, evitando degradação ambiental, auxiliando na proteção das culturas ancestrais, contribuindo para curar as injustiças sociais e as disfunções psicológicas que proliferam na atualidade. A conclusão é que tais práticas e saberes configuram contribuição ímpar para a psicoterapia, capazes de beneficiar e trazer alívio para as disfunções e infortúnios humanos. Também introduzem novo horizonte de revolução de consciência, renovados paradigmas, inovação cultural e impulsionam as Artes Visionárias.

A Ayahuasca Dentro do Contexto Terapêutico

Bruno Fontoura Pereira

O presente trabalho tem como objetivo introduzir um panorama geral dos benefícios terapêuticos da bebida ayahuasca utilizada em contexto clínico – sob supervisão, acolhimento, acompanhamento e direcionamento vivencial respaldados pela fenomenologia e pela psicoterapia de profundidade, feito em conjunto com uma sistemática psicoespiritual buscando garantir, dessa forma, os aspectos legais dos trabalhos como instrumento clínico-terapêutico autêntico; não só a bebida como principio ativo mas toda ritualística envolvida tradicionalmente nos trabalhos com ayahuasca – uma reinterpretação da posição do xamã e da prática do xamanismo em si como processo terapêutico genuíno exercido desde tempos arcaicos e validados pela experimentação direta em diversas culturas – o trabalho vivencial tem o programa AYCAD (Ayahuasca Caminho Direto) como campo de investigação, desenvolvido pelo psicólogo Bruno Fontoura, tem como fator principal, o trabalho interior e o desenvolvimento humano intensivo como base de um caminho que se contrapõe à estrutura dogmática, religiosa ou pseudo-xamânica que predomina no universo ayahuasqueiro do país.
O programa terapêutico AYCAD é fruto de mais de 20 anos de investigação no campo transpessoal. Na última década a Ayahuasca entrou como um instrumento definitivo em todo esse trabalho junto a uma reunião criteriosa de elementos terapêuticos e métodos de trabalho interior voltados para buscadores maduros e abertos a um processo profundo de autoconhecimento – o uso ritualístico da bebida dentro de um background teórico e prático envolvendo tradições da psicologia e da prática terapêutica em sua essência.

Narrativas Tradicionais da Ayahuasca no Ensino de Química do Acre

Miguel Gustavo Xavier & Thaisa Lumie Yamauie

Desenvolver novas mentalidades e práticas envolvendo ciência, cultura, sociedade, meio ambiente e espiritualidade foi objetivo de pesquisa de metodologia de ensino-aprendizagem através da mediação cultural da ayahuasca com estudantes do curso de licenciatura em química da Universidade Federal do Acre. Com o intuito de resgatar memórias semânticas dos estudantes sobre a cultura da ayahuasca, foi realizada uma abordagem dialógica relacionando o princípio da incerteza de Heisenberg e a mecânica quântica até chegar na importância das relações possíveis entre ciência e cultura, definindo a transdisciplinaridade através dos axiomas ontológico, lógico e epistemológico. Metodologias de aprendizagem ativas ou colaborativas permitiram o resgate das memórias semânticas produzindo narrativas tradicionais da ayahuasca, possibilitando a construção coletiva de conhecimento e novas associações de ideias no planejamento de aulas de química, num propósito claro de reconhecer e incluir a cultura da ayahuasca na educação científica do Estado do Acre. Com isso, novas perspectivas foram incorporadas no ensino de química através do desenvolvimento de metodologias transdisciplinares envolvendo a cultura da ayahuasca na cidade polo do peculiar sincretismo acriano.

A Importância de Manter as Tradições e Conhecimentos Sagrados dos Povos da Amazônia

Txaná Ixã Huni Kuin

Esta apresentação será feita pelo Pajé Txaná Ixã da aldeia Altamira, da etnia Huni Kuin, um profundo conhecedor das medicinas da floresta. Ele é uma das principais lideranças de seu povo, dedica sua vida às dietas e estudos espirituais, iniciou os estudos com 8 anos de idade e vem aprofundando seu conhecimento desde então através de longos períodos em dieta na mata. Tem se dedicado nos últimos anos a levar para sua cultura e força espiritual para fora da aldeia, a todos que sentem o chamado. O papel do pajé nas aldeias é guiar os rituais de cura com as medicinas sagradas da floresta, principalmente o nixi pae (ayahuasca). É de suma importância manter viva as tradições deste conhecimento sagrado. Txaná Ixã colabora para repassar aos mais jovens, através da língua, os cantos sagrados que abrem as mirações nos rituais do nixi pae através dos kenes, as danças conhecidas como mariri e as pinturas com kenes (“geometria sagrada”), que trazem força e proteção. Ele procura tratar vários tipos de doenças e mazelas, em todos os níveis, físico, mental, emocional e principalmente o espiritual. Sua missão está ligada ao xamanismo, cuja essência é religar o homem com os elementos da terra. Infelizmente, a sociedade brasileira inibe a prática e o conhecimento deste tipo de cura por preconceito, fazendo com que as populações indígenas se adequem as leis dos brancos (Nawas) para poder exercer o conhecimento milenar do seu povo. Nesta apresentação, ouviremos de um autêntico representante Huni Kuin como realiza as suas curas e como acredita que as medicinas da floresta podem ser importantes para além da vida na aldeia.

Crianças e Jovens da UDV: Plantando Boas Sementes para o Despertar à Espiritualidade

Jeanny da Luz

Nesta apresentação abordaremos o tema do uso da hoasca por jovens e crianças no âmbito da União do Vegetal (UDV). Sentimos que nosso trabalho é plantar e cultivar no coração das nossas crianças e jovens boas sementes para que possam desenvolver dentro de si virtudes morais e intelectuais, em sintonia com o trabalho maior proposto pelo centro, que é a evolução espiritual. Em um primeiro momento, esta apresentação indagará: de que forma a UDV exerce a distribuição da hoasca para crianças, adolescentes e jovens? Exporemos as regras estabelecidas pela direção geral do centro sobre quais sessões os filhos de sócios podem participar, e como. Em seguida, abordaremos o trabalho de orientação espiritual com crianças e jovens da UDV. Faremos um breve relato de como são desenvolvidas as atividades de orientação espiritual integrando a doutrina e aos trabalhos dos departamentos que compõe a nossa sociedade. No nosso entender, a participação dos jovens na vida religiosa, de acordo com seu próprio interesse, pode ser importante para seu desenvolvimento saudável e também faz parte do nossos direitos religiosos.